julho 29, 2008

AFÃ DE MUDANÇA

...Do caos para a luz. Sensações. Pipocas estralando na espiriteira. Nesta lida o zíper emperrado e um afã de despir que é irrevogável. Ela compreende e tenta ajudar, mas nada consegue. Ele tenta de novo, afinal o afã é astucioso no querer. O zíper está emperrado. O tempo parou. As eras são neolíticas e a posse comanda o desejo. "E se eu a rasgasse toda?" Ele pensa, mas não põe em prática o pensamento. "E agora?", ele fala. Ela responde que só vai conseguir abrir o zíper em casa. "Me leva para sua casa então!", ele lhe suplica. Aflito como um pernilongo, esperto como uma foca, humilde como um escravo e franco como um belo girassol...

6 comentários:

Acantha disse...

E FEZ-SE A LUZ!!!

BETO PALAIO disse...

Acantha, a luz quem trouxe foi você... Só sei acrescentar letras...

Betty disse...

Viver é transformar, mais que mudar...

Adoro você, menino amigo, que instiga belas transformações em mim.

Vida longa ao Littera Tour!

BETO PALAIO disse...

Obrigado, Bettynha... As transformações são mútuas...

Almanaque disse...

Viva o LITTERA TOUR! Fiquei muito feliz com a boa nova! Vida longa e frutífera para as geniais idéias Palaianas! Evoé!

Heloise disse...

Eu demoro, mas apareço. A mudança me fez entender que não pode haver pressa nem correria. Ultimamente tô mais pra baiana do que pra outra coisa, mas é preciso viver a vida intensamente, curtir cada palavra, cada pedacinho de poesia, cada gesto de amor. Fico feliz com sua estréia solo. Beijos e sucesso da amiga que um dia te conheceu no Dudi. E a blogosfera nunca mais foi a mesma! :)