agosto 24, 2008

Um poema de Adrienne Rich

Mulheres
As minhas três irmãs estão sentadas sobre rochas de obsidiana preta. Pela primeira vez, à esta luz, consigo ver quem são. A minha primeira irmã está a coser o fato para a procissão.Vai vestida de Senhora Transparente e todos os seus nervos estarão à vista. A minha segunda irmã também está a coser sobre a ferida do peito, que nunca cicatrizou completamente. Espera, enfim, aliviar este aperto no coração. A minha terceira irmã está a contemplar uma crosta vermelho-escura que o ocidente estende ao longe, sobre o mar. Tem as meias rotas, mas ela é linda demais.
(Adrienne Rich)

4 comentários:

claudio boczon disse...

Grande Betão,

descobri agora teu blog, via Almanaque.

Vida longa e próspera!

abração

BETO PALAIO disse...

Obrigado, Claudio... A arte é breve e a vida á longa... Vamos tentando aprender mais essa arte em que você e o Panis já são mestres...

Heloise disse...

Tenho suas artes. Elas enfeitam minha vida e alegram meu coração.

Marcelo Novaes disse...

Beto,


Essa versão das "três parcas", de Adrienne Rich é muito boa. E a ilustração, ótima.


Um blog elegante, não há dúvida.



Abração,




Marcelo.