setembro 04, 2008

A verdadeira arte de viajar.




A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa,
Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo.
Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali...
Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando!


Mario Quintana

2 comentários:

Betty disse...

Ah, esses poetas que amo tanto...
beijinho

A imagem e os espelhos

Jamais deves buscar a coisa em si, a qual depende tão-somente dos
espelhos.
A coisa em si nunca: a coisa em ti.
Um pintor, por exemplo, não pinta uma árvore: ele pinta-se uma árvore.
E um grande poeta – espécie de rei Midas à sua maneira – um grande
poeta, bem que ele poderia dizer: – Tudo o que eu toco se transforma em
mim.

Mario Quintana

BETO PALAIO disse...

Lindo isso, Bettynha!!